Formação

Formação para cidadania, identidade e empreendimento cultural sustentável

Durante a expedição cultural foi realizada uma série de encontros de formação em casas de artesãos e em eventos pontuais, como feiras de artesanato no Estado. Ao todo foram seis encontros oficiais que somaram a participação de artesãos das cidades de Giruá, Rio Pardo, Protásio Alves, Bento Gonçalves, São Borja e São Gabriel. As rodas de conversas trabalharam assuntos como cidadania, identidade cultural e empreendedorismo cultural sustentável. A maioria dos participantes eram mulheres com faixa etária entre 35 e 80 anos, que trabalham com artesanato desde muito jovens e que aprenderam com gerações anteriores. O perfil dos artesãos era o trabalho com o artesanato tradicional, de referência cultural e de reciclagem utilizando matéria-prima local e técnicas ancestrais. Os participantes expuseram suas experiências de vida, comentando sobre a realidade local para a produção, aquisição de matéria-prima e comercialização dos produtos artesanais. Foram apresentados aos participantes questões sobre o empoderamento feminino para o trabalho, valor agregado ao artesanato, políticas públicas em cultura como os programas de artesanato e planos de cultura, principalmente o Plano Setorial de Artesanato.

O objetivo desta ação foi proporcionar a troca de conhecimentos e ferramentas para o empoderamento desses artesãos como protagonistas de uma mudança local, através do empreendedorismo sustentável.